Atenção! Três circunstâncias frequentes que podem resultar na suspensão do seu Bolsa Família

O *beneficiário do Bolsa Família* muitas vezes sem perceber, coloca em risco a continuidade do seu *auxílio*. Isso acontece quando não cumpre com as regras estabelecidas, o que pode resultar no *cancelamento do benefício*.

Quando é *aprovado no Bolsa Família*, o titular recebe orientações para manter o benefício. O descumprimento dessas regras leva ao bloqueio do salário até regularização, podendo até mesmo resultar no *corte total do auxílio*.

O que pode levar ao corte do Bolsa Família?

Existem três situações comuns que podem resultar no *corte do benefício*. O titular precisa estar ciente delas para evitar bloqueios ou exclusão do programa.

Essas regras são conhecidas como condicionalidades, que são as *condições para manter o cadastro ativo. Isso inclui*:

– Falta de *atualização do Cadastro Único*: ficar mais de dois anos sem atualização dos dados ou alterar informações como endereço, escola, renda, etc., resulta no bloqueio do benefício;
– Não realizar o *acompanhamento nutricional* das crianças até 7 anos: as crianças devem comparecer ao posto de saúde para avaliação de peso e altura duas vezes por ano;
– Deixar o *benefício acumular na conta*: o prazo para sacar cada parcela é de 120 dias. Acumular os depósitos pode resultar na perda do valor.

O que fazer em caso de bloqueio do Bolsa Família?

O beneficiário recebe uma *notificação de bloqueio* e deve corrigir o erro em um ponto de atendimento para voltar a receber o auxílio. Após a liberação, a família recebe o pagamento do mês retido.

– Corrigir erros no cadastro (no posto de saúde, escola, etc.);
– Atualizar o cadastro no CRAS;
– Aguardar a reativação do benefício.