Pessoas que recebem o Bolsa Família podem trabalhar com carteira assinada? Conheça as regras.

O Programa Bolsa Família é uma iniciativa do governo brasileiro voltada para famílias com renda mensal entre R$ 89 e R$ 178. Ao receber esse auxílio financeiro, surgem diversas questões, sendo uma delas: é possível trabalhar com carteira assinada sendo beneficiário do Bolsa Família?

O objetivo do programa é combater a pobreza e a desigualdade social no Brasil. Para manter o benefício, as famílias participantes precisam cumprir algumas obrigações, como garantir a frequência escolar das crianças e realizar consultas de pré-natal e vacinação.

É possível trabalhar de carteira assinada sendo beneficiário do Bolsa Família?

Sim, é permitido trabalhar com carteira assinada mesmo recebendo o Bolsa Família! O programa destina-se às famílias em situação de extrema pobreza e pobreza, fornecendo ajuda financeira para suprir necessidades básicas mensais.

Receber o benefício não impede que os membros da família exerçam atividades com carteira assinada, pois o cálculo da renda per capita familiar é considerado no programa.

Desde que a renda familiar esteja dentro dos critérios estabelecidos pelo Bolsa Família, é viável receber o auxílio financeiro.

Vantagens do Bolsa Família

O programa disponibiliza um auxílio mensal no valor de R$ 600, e algumas famílias podem receber benefícios adicionais, de acordo com a situação de cada integrante do núcleo familiar. Confira abaixo os benefícios oferecidos pelo programa:

  • Benefício de Renda de Cidadania (BRC): R$ 142 por membro da família;

  • Benefício Complementar (BCO): Valor extra para famílias cuja soma dos benefícios seja inferior a R$ 600;

  • Benefício Primeira Infância (BPI): Acréscimo de R$ 150 por criança de zero a sete anos;

  • Benefício Variável Familiar (BVF): Adicional de R$ 50 para gestantes e jovens de 7 a 18 anos;

  • Benefício Variável Familiar Nutriz (BVN): Suplemento de R$ 50 para cada integrante com até sete meses de idade (nutriz);

  • Benefício Extraordinário de Transição (BET): Concedido até maio de 2025 para assegurar que nenhum beneficiário receba menos do que o estabelecido pelo programa anterior, Auxílio Brasil.